Dieta da proteína

Post 23-05-16

Já badalada (mas também controversa) há bastante tempo, a dieta da proteína é uma luz no fim do túnel para quem quer enxugar gordura e não conseguiu sucesso com nenhum outro programa de emagrecimento.
Após anos estudando todas as variações das dietas de proteína, o expert em obesidade George L. Blackburn, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, deu seu aval a uma releitura da versão original do Dr. Atkins.

Argumentações da dieta são:

Carboidratos, proibidos na maioria das dietas proteicas, são o principal combustível de energia do organismo. Sem eles, o organismo entra em processo de cetose, consumindo estoques de gordura para gerar energia. Daí o emagrecimento. O problema são os efeitos colaterais típicos da versão original da dieta, radicalmente restritiva– desânimo, tontura e até lapsos de memória.

Outro princípio da dieta é o efeito termogênico do metabolismo das proteínas. Nosso organismo tem uma dificuldade 30% maior de processar proteínas em comparação com gorduras e carboidratos, aumentando o consumo energético para metaboliza-las.

Além disso, proteínas:

  • prolongam a sensação de saciedade,
  • dão firmeza à pele,
  • contribuem para a manutenção da massa magra (aumento de músculos, se a dieta for conciliada a exercícios regulares de força),
  • ou seja, evitam o efeito platô, em que a perda de peso estaciona depois de um tempo.

A nova versão da dieta, menos radical, a dieta das proteínas de alto valor biológico:

  • reduz a ingestão de carboidratos, ao invés de aboli-los,
  • limita o consumo de gorduras, ao invés de liberá-las,
  • restringe as proteínas a uma quantidade que não sobrecarregue os rins e não provoque efeitos colaterais, como queda de cabelo, anemia e desmaios, entre outros.

A dieta se subdivide em 3 fases:

Post 23-05-16a

Dentre os alimentos:

Post 23-05-16b

Dica: O aplicativo Atitude Boa Forma traz, entre outros, uma lista com 5000 alimentos e seus valores nutricionais.

Lembre-se que este conteúdo tem um intuito meramente informativo. Se você pretende iniciar um programa de emagrecimento restritivo, com meta de redução considerável de peso, você precisa de acompanhamento de profissionais capacitados – um nutricionista e um preparador físico. Pois seu organismo passará por provações, precisando de avaliações em períodos regulares, possivelmente de uma suplementação alimentar entre outras condutas a serem tomadas. Não coloque a sua saúde em hipótese alguma em risco!

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/dieta/boa-forma/a-nova-dieta-da-proteina-enxuga-7-quilos-em-14-dias

Temperos termogênicos

Slide29

Temperos trazem muito mais do que sabor e aroma ao seu prato. Além de ajudar a economizar no sal, dando uma força na luta contra a retenção de líquidos e a hipertensão, eles, se bem selecionados, podem ser ótimos aliados do seu programa de emagrecimento. Eles ajudam a acelerar o metabolismo e funcionam como antídotos para as toxinas que ingerimos.

Pimenta vermelha: é termogênica, ajuda no funcionamento do intestino, ajudando na eliminação de toxinas do organismo.

Pimenta-do-reino: contém piperina (“parente” da capsaicina contida na pimenta vermelha), que também ajuda a mobilizar as gorduras.

Alho: ajuda a metabolizar carboidratos e gorduras. Seu uso contínuo impede que o corpo crie gordura extra. Possui alicina, substância que acelera o gasto de energia, reduz a retenção líquida e purifica o organismo. Além disso, funciona como um supressor de apetite.

Coentro: tem propriedades digestivas que combatem inflamações intestinais, a prisão de ventre e auxiliam no emagrecimento.

Azeite de oliva: rico em gordura monoinsaturada, vitaminas, minerais e compostos antioxidantes.

Mostarda: é termogênica. Estima-se que a mostarda acelere o metabolismo em até 25%.

Salsa: Estudos comprovam que o consumo de salsa reduz a quantidade de glicose do sangue. Também é diurética e elimina toxinas do organismo.

Açafrão-da-terra ou Cúrcuma: ajuda a impedir o crescimento das células de gordura depois de uma perda de peso. É um dos ingredientes do curry.

Orégano: além de ajudar na digestão e evitar a sensação de estômago alto, tem ação diurética.

Canela: aumenta o metabolismo, regula os níveis de açúcar no sangue, ajuda a reduzir triglicerídeos e colesterol, reduz a ansiedade para comer.

Cravo-da-índia: além de termogênico, possui ação anti-inflamatória, cicatrizante e analgésica.

Cardamomo: especiaria pouco conhecida no Brasil, mas disponível no mercado, contém melatonina, um dos hormônios que ajudam a regular o peso. Estudos mostram que esse hormônio estimula o aparecimento da gordura branca, tipo de células de gordura que queima calorias, em vez de estocá-las.

Gengibre: ajuda a reduzir o apetite; controla a ansiedade; é termogênico e tem função adstringente, que limpa o organismo.

Mas fique atento! Termogênicos podem ter restrições para hipertensos, gestantes e pessoas com estômagos mais sensíveis. Se você faz acompanhamento com cardiologista ou gastroenterologistas por algum desses motivos, verifique se e como você pode consumir esses temperos.

Fonte: http://www.saudedica.com.br/os-14-temperos-que-ajudam-a-emagrecer-rapido/

20 Ervas para você manter a linha

Slide26

O uso de ervas para diversos fins fitoterápicos provém muitas vezes de uma sabedoria milenar, nos últimos tempos abordada pela ciência buscando um melhor entendimento e conhecimento. Muitas das ervas que compilamos neste post já foram abordadas em posts anteriores. Nesta seleção aqui cada um certamente encontrará algumas opções que vão também de encontro ao seu paladar…

Ervas que apoiam programas de emagrecimento têm uma ação termogênica (dando um up no metabolismo) e/ou lipolítica (estimulando a queima de gordura) e/ou redutora dos níveis de colesterol. Mas tenha sempre a consciência: Ervas servirão como apoio para a sua dieta, mas não fazem milagre sozinhas. Precisam ser conciliadas com uma alimentação adequada e uma boa rotina de exercícios!

Tomilho: age contra gases intestinais, facilita o processo digestivo, melhora infecções na pele e cólicas, ameniza tosses, dores de garganta, bronquite, estimula expectoração do catarro. Porém, seu uso é contraindicado para gestantes, lactantes, crianças com menos de 6 anos e pacientes com insuficiência cardíaca e enterocolite.

Chá Branco: poderoso antioxidante. Porém, seu uso é contraindicado para grávidas, lactantes, hipertensos, pessoas com úlcera gástrica, insônia e diabetes.

Chá verde: tem poder antioxidante e lipolítico. Mas é importante tomar todos os dias e combinar seu consumo com uma dieta equilibrada e pelo menos 30 minutos de exercícios diários.

Chá Vermelho: combate retenção de líquidos, possui ação antioxidante e auxilia na redução de colesterol. Deve ser tomado até as 18h para evitar quadro de insônia.

Erva-Cidreira: combate a ansiedade (ajudando a evitar ataques à geladeira), ameniza problemas digestivos e gases intestinais. Porém, seu uso é contraindicado para pessoas alérgicas à erva ou com problemas na tireoide.

Pimenta de caiena (pimenta vermelha): efeito termogênico e lipolítico, reduz a ingestão calórica. Ativa certas proteínas no corpo e graças a isto evita acúmulos de gordura no corpo.

Carqueja: tem efeito positivo sobre o metabolismo, melhora a quebra de gordura, pois melhora o funcionamento do fígado, tendo um efeito desintoxicante. Auxilia na digestão, tendo efeito positivo em vários problemas do trato digestivo (úlceras, refluxos) e ajudando na prisão de ventre.

Louro: melhora a digestão, tem efeito diurético. Pode ser consumido fresco, seco ou em pó.

Cavalinha: efeito diurético, combatendo a retenção de líquido e, consequentemente, o inchaço bem como melhorando problemas nos rins e bexiga. Porém, seu uso é contraindicado para pessoas com gastrite e úlcera.

Pata-de-vaca: ajuda no controle do nível de glicose no sangue, sendo com isso uma aliada no combate ao diabetes e às gorduras acumuladas, principalmente na região abdominal.

Camomila: eficiente contra ansiedade, tensão e depressão leve. Ajuda a eliminar a barriguinha saliente, pois regula o intestino. Porém, o consumo em excesso pode causar náuseas e insônia.

Canela: acelera o metabolismo, regula os níveis de açúcar no sangue, ajuda a reduzir triglicerídeos e colesterol, reduz a ansiedade para comer, sendo com isso de grande ajuda para controlar o peso.

Boldo: ajuda na digestão de gorduras e favorece o funcionamento do fígado, tem efeito laxativo.

Alecrim: auxilia na digestão de gorduras, reduz a formação de gases, protege o fígado e alivia cólicas menstruais. Porém, seu uso é contraindicado em casos de diabetes, hipertensão, gravidez, doenças inflamatórias da pele e hipertrofia de próstata.

Sálvia: favorece a digestão, auxilia a absorção de nutrientes no intestino, tem ação diurética, ajudando na eliminação de toxinas do organismo e prevenindo artrite e gota. Grávidas e mulheres em fase de amamentação, pessoas com epilepsia e com problemas cardíacos não devem consumir sálvia.

Bardana: ajuda na eliminação de toxinas do corpo, regula o nível de glicose no sangue. Porém, crianças, gestantes e pessoas com diarreia crônica devem evitar seu consumo.

Manjericão: melhora a digestão das gorduras, elimina os gases intestinais, auxilia nas dores reumáticas e problemas respiratórios.

Salsa: Na forma de chá, é um poderoso diurético, digestivo, tônico do pulmão, melhora a circulação do sangue, é anti-inflamatório e excelente fonte de cálcio. Sua ingestão não é recomendada para pessoas com problemas renais.

Gengibre: Pesquisas comprovam que o gengibre pode suprimir o apetite, ajudar na digestão, remover toxinas e agir como termogênico, acelerando nosso metabolismo. Praticamente um super-herói da saúde. Mas apresenta restrições de consumo para hipertensos.

Fonte: http://www.saudedica.com.br/as-20-ervas-que-ajudam-a-emagrecer/

5 Ingredientes que aumentam o consumo energético

Slide20

Alimentos termogênicos são aqueles capazes de acelerar o metabolismo, aumentando a temperatura corporal, fenômeno chamado de termogênese. Com este aumento da temperatura corporal, passamos a gastar mais calorias. Esse gasto adicional pode ficar em torno de 5% a 10% em relação ao gasto energético normal do nosso metabolismo. Por isso, alimentos termogênicos são grandes aliados numa dieta equilibrada em busca do emagrecimento saudável. Além disso, vários destes ingredientes tem importante ação anti-inflamatória e antioxidante, combatendo os radicais livres, grandes responsáveis pelo envelhecimento precoce. Ou seja, vale incluí-los no seu cardápio.

Chá Verde: Além de termogênico, devido à combinação da cafeína e dos polifenóis, ajuda no funcionamento de enzimas digestivas e causa oxidação significativa das gorduras. “Parentes” do chá verde, também originários da Camellia Sinensis, os chás vermelho, branco e amarelo, também são muito benéficos. Se o consumo for associado à atividade física, o resultado é potencializado. Chá verde não é indicado para gestantes, hipertensos e pessoas com distúrbios do sono. Se você apresenta algum desses problemas, deve verificar com o médico que faz seu acompanhamento se e como pode consumi a bebida.

Gengibre: Principal substância termogênica do gengibre é o gingerol. É recomendado o consumo de 1 ou 2 pedaços de 1 cm de gengibre diariamente. Ele também pode ser ralado e usado em forma de tempero, ou em forma de chás e sucos. Hipertensos devem consultar o médico que faz seu acompanhamento para saber se podem consumir este alimento.

Pimenta vermelha: A capsaicina, um potente termogênico, favorece o aumento da quebra de gorduras no tecido adiposo. Ela aumenta em até 20% a atividade metabólica se ingerida na quantidade de 3 gramas por dia. Porém, ATENÇÃO! Ela não é indicada em casos de gastrite ou outras sensibilidades e restrições. Se você sofre de algum desses problemas, é importante verificar com seu gastroenterologista, se e como pode consumir o alimento.

Canela: Além de estimulante e termogênica, a canela possui alto teor de cálcio mineral, substância importante para o emagrecimento. É recomendado o consumo de 2 colheres de chá por dia! Você pode incrementar seu café, sucos ou iogurte com um toque de canela.

Feijão Preto: Além de termogênico, é boa fonte de carboidratos complexos.

Alguns destes ingredientes não são indicados para quem tem qualquer alergia ou restrição alimentar, como a pimenta vermelha e a canela.

Vale lembrar que o nosso metabolismo é influenciado por diversos fatores como sexo, idade, altura, peso, atividade física, entre outros. Comer pouco, de forma saudável e várias vezes ao dia são princípios importantes de longevidade e qualidade de vida.

Fonte: http://www.saudedica.com.br/os-5-ingredientes-que-aumentam-o-gasto-energetico/