Cirurgia Plástica – Antes, durante e depois

Post 11

Toda cirurgia está associada a riscos. Para evitá-los, é antes de mais nada importante entendê-los, buscando, assim, agir da forma correta. Cada etapa antes, durante e depois da cirurgia exige precauções.

No geral, quanto maior o porte da cirurgia, maiores os riscos. Mas TODA CIRURGIA exige cuidados!

👉 Antes da cirurgia

– Você deve buscar esclarecer todas as suas dúvidas.

– O fumo bem como certos medicamentos como aspirina e alguns anti-inflamatórios podem ser fator de risco.

– Para ter certeza que seu organismo está apto a se submeter a uma cirurgia, uma bateria de exames é necessária.

👉 Durante a cirurgia

– A cirurgia deve ser realizada num hospital com a infraestrutura correta para interagir com eventuais complicações.

– A equipe de profissionais que realizam sua cirurgia deve ser gabaritada. Cirurgia plástica deve ser com o cirurgião plástico! Um bom anestesista também é de suma importância para que tudo corra bem durante a cirurgia.

👉 Depois da cirurgia

Cada cirurgia leva a certos tipos de intercorrências. Comuns são edema (inchaço), hematomas (manchas roxas), seroma (acúmulo de um líquido no local operado, que requer punção), restrições na mobilidade (até recuperação da cicatriz) entre outros.

Você precisará cooperar, comparecendo às consultas de revisão, tomando a medicação receitada corretamente, seguindo orientações para suas rotinas pessoais de higiene pessoal e alimentação e fazendo procedimentos adicionais, quando indicados (como por exemplo, fisioterapia dermato-funcional, drenagem linfática etc.).

Cada organismo tem seu tempo e suas especificidades para se recuperar. Respeite!

 

Fonte: http://www.smartbeautyguide.com/planning-toolkit/complications

Quando as emoções pesam na balança…

InShot (5)

Quem já experimentou aquelas dietas da moda que prometem perder vários quilos em poucas semanas?… Da proteína, da sopa, da lua, do carboidrato etc. A pessoa perde todos aqueles quilos indesejados, sente-se finalmente feliz e realizada, mas, passado algum tempo, começa a recuperar os quilos outrora perdidos quase como mágica. As roupas começam a não caber, o espelho já não é mais o melhor amigo, e a autoestima vai por água abaixo… O que deu errado?

Do ponto de vista nutricional, o caminho para se alcançar o emagrecimento não foi o correto. Ninguém consegue manter dietas tão restritivas por tanto tempo. O mais indicado é uma reeducação alimentar, orientada por um nutricionista.

Do ponto de vista psicológico, há às vezes algo que parece sabotar todo um trabalho seguro e bem planejado. As emoções passam a pesar tanto na balança que não deixam que o ponteiro desça.

Quando pode-se considerar a dificuldade de emagrecimento uma questão (também) emocional?

  1. O alimento como principal fonte de prazer e consolo;
  2. A obesidade como um escudo, criado por dificuldades de relacionamento;
  3. Como defesa contra a própria “sensualidade”;
  4. Medo de ser feliz. Baixa autoestima faz certas pessoas não se sentirem merecedoras de uma vida feliz e realizada.
  5. Engolir as emoções – Pessoas estão acostumadas a não falar sobre aquilo que as incomoda ou as aflige, que não conseguem impor limites aos outros e sempre cedem para se passarem por “boazinhas”.
  6. O ambiente familiar – Em muitas famílias, o alimento é usado como sinônimo de amor/afeto, como forma de recompensa ou punição.

Nesses casos, o suporte de um psicólogo será ótimo complemento para o programa de reeducação alimentar e atividade física, sendo super válido para trabalhar as questões emocionais que dificultam a perda de peso. A psicoterapia pode melhorar a maneira de a pessoa se relacionar com o alimento e com o que ele representa. No processo psicoterápico, o indivíduo analisa questões e situações e, dessa forma, supera os obstáculos que o atrapalham a atingir seu objetivo. Como resultado, o paciente torna-se um indivíduo mais confiante, seguro e conhecedor de suas próprias capacidades e limitações. Assim, o emagrecimento será consequência natural de seu autoconhecimento e esforço.

Fonte: Danielle Bastos, Psicóloga Clínica (http://www.buscasaude.com.br/materias-psicologia/obesidade-quando-as-emocoes-pesam-na-balanca/)

Como se preparar para uma abdominoplastia?

InShot (4)

Restrições do pós-cirúrgico de uma abdominoplastia

  1. Dieta leve e ingestão abundante de líquido.
  2. Evitar esforços por no mínimo 14 dias, mas andar dentro das limitações e orientações passadas pelo médico. Isso reduz o risco de trombose.
  3. Evitar sol, vento ou friagem por 4 semanas, até alta médica.
  4. Não fumar.
  5. Dormir por pelo menos 7 dias de abdome para cima, com os joelhos dobrados, com 2 a 3 travesseiros embaixo dos mesmos.
  6. Você usará cinta até liberação médica.
  7. Banho será das partes não operadas, evitando molhar os curativos. Normalmente após a retirada dos curativos, você é liberado(a) para o banho, mas deve seguir orientações médicas sobre como cuidar da região operada.
  8. É normal ocorrer tontura ao tirar a cinta para tomar banho. Por isso, é bom ter um banquinho à disposição no banheiro e, de preferência, ter alguém para auxiliar você.
  9. É preciso andar com o tronco levemente curvado para a frente por 10 a 15 dias, sob risco de romper os pontos e distender a cicatriz.
  10. A drenagem linfática, após liberação médica, será importante aliada na sua recuperação.
  11. Não conduzir veículo até liberação médica.

Mais informações serão disponibilizadas de forma individualizada aos pacientes que se decidirem por realizar o procedimento no contexto dos preparativos pré-cirúrgicos.

Bebidas alcoólicas & Ressaca

Slide7

Neste Carnaval, que haja muita alegria e exuberância. Mas ressaca… ninguém merece…

Algumas dicas do Dr. Wilson Rondó, especialista em Medicina Preventiva Molecular.

O melhor é sempre não abusar das bebidas alcoólicas, pois o álcool leva a várias reações negativas no organismo:

1 – Aumento de frequência urinária, levando à desidratação e perda de eletrólitos. Isso leva à sensação de cansaço e tonturas.

2 – Aumento de acetaldeido, proveniente da metabolização do álcool no fígado. O acetaldeido é 30 vezes mais tóxico que o próprio álcool. Quando você bebe muito, as enzimas do fígado não dão conta de metabolizar o álcool e o acetaldeido aumenta muito no seu corpo, causando os efeitos da ressaca.

3 – Bioprodutos da fermentação, mais presentes em bebidas escuras, como uísque e vinho tinto, podem piorar ainda mais a condição da ressaca.

4 – Alterações no metabolismo da glutamina podem levar a um chamado efeito rebote, que gera cansaço, ansiedade e até hipertensão arterial.

5 – Como o álcool irrita a mucosa gástrica, aumenta a produção de ácidos no estômago, promove náusea, vômito e dor abdominal.

6 – Alterações da glicemia, acarretando tremores, alteração de humor e cansaço.

7 –Vasodilatação, estimulando a dor de cabeça.

8 – O álcool estimula uma reação inflamatória, que pode levar a alteração de apetite, distúrbio de concentração e problema de memória.

Como prevenir?

Nutrientes importantes para o metabolismo do álcool são: vitaminas do complexo B (presentes por ex. em carnes magras, peixes, laticínios, ovos, hortaliças, folhas verdes escuras, amêndoas, abacate, banana, cereais), vitamina C (presente por ex. em frutas cítricas), magnésio (presente por ex. em castanhas, semente de abóbora, alcachofra), silimarina (principalmente alcachofra), N-Acetyl L-Cysteína (presente por ex. em laticínios, cereais integrais, castanhas, alho, brócolis, cebola roxa, couve-de-Bruxelas e, principalmente ovos).

Além disso, são importantes também: gengibre, curcumina (açafrão-da-terra, curry), óleo de coco, azeite de oliva.

É importante também:

  • manter-se hidratado;
  • alimentar-se antes e durante o consumo de bebidas;
  • repor eletrólitos no dia seguinte, consumindo bastante água de coco;
  • ficar fora de acetominofen, um analgésico que coloca muita carga no seu fígado;

ATENÇÃO! O álcool é uma neurotoxina que pode envenenar o seu cérebro e comprometer o seu equilíbrio hormonal, portanto use com moderação e aproveite bem todos os dias de folia!

ATENÇÃO, ATENÇÃO! Nossos pacientes se preparando para uma cirurgia e aqueles na primeira fase pós-cirúrgica, busquem evitar bebidas alcoólicas no geral!

Fonte: http://www.drrondo.com/ressaca-guia-para-prevenir/