Óleo de coco

Slide28

O óleo de coco vem ganhando força nos círculos de nutrição funcional.

Vale a pena conferir as informações a seguir e incluir o óleo de coco no seu programa de reeducação alimentar, em especial para quem precisa alcançar uma meta de redução de peso para se submeter a uma cirurgia plástica ou para quem precisa agora manter a médio/longo prazo os bons resultados de uma cirurgia plástica.

A gordura saturada contida particularmente no óleo de coco virgem não é a mesma gordura saturada que existem em outros tipos de óleos. São gorduras de cadeia média, mais fáceis de serem metabolizadas pelo organismo.

O termo “óleo virgem” significa que o óleo é processado a frio, sem perder assim substâncias benéficas à saúde, mais sensíveis a temperaturas mais altas.

Ele também contém ácidos láurico, mirístico, caprílico e cáprico.

Entre seus benefícios:

Em caso de consumo via oral:

  1. Ajuda na perda de peso:
  • Saciedade: atuando no Sistema Nervoso Central, nas regiões responsáveis por sinalizar a saciedade, diminuindo tanto a fome como a vontade de iniciar uma nova refeição.
  • No estômago: diminui a velocidade de contração do estômago e, com isso, sua velocidade de esvaziamento.
  • No metabolismo: aumenta a taxa de metabolismo basal, e assim, o gasto de energia, além de alterar a produção de gorduras pelo organismo, diminui os triglicerídeos e aumenta o colesterol HDL (o colesterol “bom”).
  • Pesquisas já mostram efeito positivo na redução da gordura abdominal.
  1. Reforça o sistema imunológico, graças ao seu efeito antiviral, antifúngico e propriedades antibacterianas.
  2. Efeito positivo na saúde cardiovascular, reduzindo os níveis de colesterol ruim (LDL) e o risco de doenças cardiovasculares.
  3. Estimula as funções da tireoide, combatendo sintomas de hipotireoidismo. Deve-se ressaltar, porém, que os resultados de pesquisas a respeito ainda são contraditórios. Por isso, em especial pacientes com algum problema tireoidiano devem sempre consultar seu médico e não suspender sua medicação por conta própria!
  4. Tem efeito estabilizador do sistema digestivo, melhorando quadros como a síndrome do intestino irritável, prisão de ventre e indigestão. Por ser antibacteriano, combate bactérias prejudiciais no sistema digestivo e também auxilia a absorção de nutrientes no corpo.

No uso tópico:

  1. Combate de infeções na pele: Aplicado sobre feridas e chagas, óleo de coco virgem pode evitar novas infecções por estafilococos. Pesquisas comprovam também seu efeito benéfico no tratamento de dermatites atópicas.
  2. Cicatrização de feridas: melhorando a reticulação de colágeno.
  3. Prevenção de estrias: Na Ásia, o óleo de coco é comumente usado para prevenir as estrias durante a gravidez, similar ao costume de muitas mulheres do Ocidente, que usam o óleo de amêndoas.
  4. Hidratação da pele: O óleo de coco pode ser usado como substituto da loção hidratante corporal, tendo adicionalmente um efeito antibacteriano e combatendo problemas de pele, como erupções cutâneas, dermatite, acne, eczema e psoríase.
  5. Pode melhorar a saúde de seu couro cabeludo e cabelo

Mas como ingerir o óleo de coco?

Melhor do que o consumo de suplementos alimentares à base de óleo de coco é usá-lo na cozinha, substituindo outros óleos no preparo de pratos. Para isso, ele se adéqua maravilhosamente. Pequenas quantidades já dão ótimos resultados culinários.

ATENÇÃO!

  • Em doses maiores (como em suplementos), o óleo de coco pode gerar uma sobrecarga ao fígado de pacientes com histórico de problemas hepáticos e/ou levar a uma resistência à insulina, culminando em um aumento nos níveis de açúcar e colesterol no sangue.
  • Por fim, o óleo de coco possui sim uma alta densidade calórica, ou seja, sua ingestão exagerada pode fazer você engordar e não emagrecer.
    Converse com seu nutricionista a respeito. E, se faz acompanhamento com um endocrinologista, toque no tema com seu médico.
  • Também em caso de uso tópico, caso tenha algum dos problemas mencionados acima, NÃO SE AUTOMEDIQUE! É sempre primordial buscar um dermatologista para diagnosticar, medicar e acompanhar o seu quadro clínico. Não basta se “automedicar” usando óleo de coco.

 

Fontes: http://endocrinologiaevida.blogspot.com.br/2012/06/oleo-de-coco-beneficio-real-ou-mito.html; http://www.saudedica.com.br/os-10-beneficios-do-oleo-de-coco-virgem-para-saude/; http://emagrecimentoacelerado.com/oleo-de-coco-beneficios-maleficios-e-verdades-reveladas/

Cirurgia íntima

Slide19

Vem crescendo o número de mulheres buscando cirurgia íntima. Certas alterações na região genital podem gerar desconforto ou constrangimento para certas pessoas. Há basicamente 3 tipos de cirurgia íntima feminina:

  1. Redução dos Pequenos Lábios Vaginais (Ninfoplastia ou Labioplastia)

Os pequenos lábios vaginais têm a função de proteger a entrada da vagina, dificultando o surgimento de infecções bacterianas, além de também ajudar na lubrificação local. Mas a hipertrofia (aumento) dos pequenos lábios vaginais, uma alteração relativamente frequente, pode causar constrangimento. A redução cirúrgica dos pequenos lábios deve, porém, ser na medida certa, pois a redução exagerada desta estrutura poderá acarretar ressecamento, principalmente depois da menopausa.

  1. Redução dos Grandes Lábios Vaginais

Também faz parte do processo de envelhecimento um aumento da flacidez da região pubiana e, com isto, uma queda de toda a região. A correção cirúrgica retira este excesso de pele, aproveitando muitas vezes a própria cicatriz da Cesárea, caso houver.

  1. Redução do Monte de Vênus

O monte de Vênus localiza-se acima do púbis, é a região com pelos que fica acima dos órgãos genitais. Há pacientes em que o monte de Vênus é muito proeminente, conferindo um aspecto abaulado acima dos genitais, muitas vezes visível sob o biquíni, o que pode causar desconforto e constrangimento. A correção cirúrgica se dá por meio de uma lipoaspiração suprapubiana, retirando o excesso de gordura causador deste volume na região.

A cirurgia íntima é simples, não exige grandes períodos de repouso e, se realizada isoladamente, não há necessidade de internação. Na maioria das vezes feita sob anestesia local, não há necessidade de retirada de pontos, pois os mesmos são absorvíveis. Principal restrição será a abstinência de atividade sexual por aproximadamente 30 dias, seguindo orientações médicas.

Goji berry

Slide30

Originária do sul da Ásia (China, Tibete e Índia), essa super fruta é a sensação do momento. Rica em diversos nutrientes, traz vários benefícios à saúde.

Tem como atrativo a alta concentração de:

  • vitamina C;
  • vitaminas B1, B2 e B6;
  • e uma variedade de aminoácidos, vitaminas, minerais, ácidos graxos insaturados, substâncias antioxidantes e polissacarídeos;
  • além de baixo valor calórico (1 colher de sopa -14g = 50 calorias)

composição goji

Benefícios:

  1. Equilibra os níveis de açúcar no sangue (ajuda a prevenir Diabetes tipo 2);
  2. Ajuda no emagrecimento;
  3. Fortalece pele, ossos e tendões;
  4. Pode melhorar o quadro da celulite (por reduzir a glicose – uma das causas da celulite);
  5. Por ser rica em antioxidantes:
  • Retarda o envelhecimento;
  • Tem ação anticancerígena;
  1. Por ser rica em vitamina C:
  • Melhora o sistema imunológico;
  • Melhora a absorção de ferro;
  • Auxilia na formação de novos tecidos;
  • Contribui para saúde de dente e gengivas;
  • Tem papel no combate à hipertensão;
  • Previne doenças cardiovasculares.
  1. Ajuda a reduzir o colesterol;
  2. Melhora a sensação de bem-estar geral;
  3. Aumenta o nível de energia, melhorando a qualidade do sono e a facilidade de despertar, aumentando o desempenho em atividades físicas e reduzindo a fadiga, melhorando a capacidade de se concentrar em atividades de rotina e reduzindo o estresse.
  4. Aumenta a libido e o desempenho sexual.

Por todas essas considerações, em especial quem por exemplo precisa alcançar uma meta de redução de peso para se submeter a uma cirurgia plástica ou quem precisa agora manter a médio/longo prazo os bons resultados de uma cirurgia plástica, vale considerar consumir esse super alimento.

Ele é encontrado tanto como fruta seca em certos supermercados como na forma de suplemento alimentar, em cápsulas.

ATENÇÃO! É importante:

  • consultar o nutricionista que faz o acompanhamento do seu programa de reeducação alimentar e
  • não superdosar o suplemento, pois todo excesso, por mais fantástico que produto pareça, leva potencialmente a reações negativas no organismo.

Fontes: http://www.buscasaude.com.br/produtos-naturais/goji-berry-fonte-da-longevidade/; http://www.diabetesevoce.com.br/blog/goji-berry-vamos-entender-por-que-e-um-superalimento/; http://www.gojiberrydobrasil.com/beneficios-goji-berry/

Mecanismos de saciedade e a importância de se distribuir bem as refeições

InShot (31)

Amanhã, 31 de março, Dia da Saúde e Nutrição, vale lembrar como hábitos saudáveis de alimentação são importantes no pré e pós-cirúrgico imediatos bem como na manutenção a médio e longo prazo dos resultados de uma cirurgia plástica.

Tema de hoje é a importância de se distribuir bem as refeições ao longo do dia.

A habilidade simples de saber o quanto se deve comer, de saber qual o tamanho certo de uma porção de alimentos, é importantíssima no processo de emagrecimento e manutenção de peso. Além disso, comer porções adequadas é algo que permite que comamos apenas até o ponto onde estamos confortavelmente saciados, evitando arrependimentos posteriores.

Em especial o consumo exagerado de carboidratos, principalmente de açúcar, é capaz de “sabotar” os mecanismos de saciedade do nosso organismo. Carboidratos são facilmente digeridos, e com isso, o intestino deixa de avisar ao cérebro que está “ocupado”. Além disso, quando uma grande quantidade de glicose cai no sangue de uma só vez, o pâncreas secreta insulina em altas doses, o que promove diversos efeitos:

  1. O organismo interpreta uma saída rápida de glicose do sangue para as células como fome!
  2. Altos níveis de insulina bloqueiam a leptina, hormônio que comunica ao cérebro que você já comeu o suficiente, ou seja, outra falha no sinal de saciedade.

Além disso, a parede do estômago tem “sensores” que, conforme o grau de distensão deste órgão, enviam informação ao cérebro sobre a saciedade. Se você comer regular e crescentemente muito, sem estômago, que nada mais é do que uma bolsa de tecido elástico, vai aumentar cada vez mais, retardando também cada vez mais o ponto no qual envia a mensagem de saciedade ao cérebro. Isso é o que leva certos obesos a recorrem à cirurgia bariátrica.

Algumas dicas para controlar a saciedade:

  1. Controle as porções. É melhor dividir em 6 refeições aquilo que comeria durante o dia concentrado em 3 refeições. Com porções menores, você sobrecarrega menos digestão e metabolismo.
  2. Dê preferência a alimentos que promovam mais saciedade, o que significa comer menos carboidratos, e mais proteínas, gorduras saudáveis e vegetais.
  3. Dê preferência aos carboidratos integrais, que levam a uma glicemia pós-prandial (pós-refeição) mais equilibrada. Como os picos de glicemia no sangue são menores, também as doses de insulina injetadas no sangue serão menores.
  4. Coma devagar, mastigando bem. Os mecanismos de saciedade do organismo demoram por volta de 20 minutos para enviar ao cérebro a mensagem que você já ingeriu o suficiente. Se você comer muito rápido, praticamente engolindo a comida, até alcançar esses 20 minutos, já terá certamente ingerido muito mais do que seu organismo de fato precisa.
  5. Aprenda a degustar aquilo que mais gosta de comer para se contentar com pequenas porções.
  6. Dedique-se às suas refeições.
    Distrair-se durante as refeições, por exemplo assistindo TV, faz muitas vezes com que você nem perceba o quanto já comeu.
  7. Para entender quanto de um determinado alimento corresponde a uma porção, é preciso ter noção de:
  • Qual a proporção entre carboidratos, proteínas e gorduras;
  • Tipo de carboidratos e índice glicêmico;
  • Tipo de gorduras;
  • Entre outros.
    Ler a tabela nutricional dos produtos é sempre bom.
    Mas, se quiser e/ou precisar levar isso à risca, é primordial buscar o suporte e acompanhamento de um nutricionista!
  1. Quando for a um restaurante, você pode:
  • Pedir porções menores;
  • Dividir uma porção com alguém;
  • Pedir que embalem o que sobrou numa quentinha para levar para casa.

 

Chá de hibisco

Slide29

A flor que encanta pela beleza e cor intensa também tem seus dotes na alimentação funcional.

Confira alguns maravilhosos motivos para beber chá de hibisco:

  1. É laxante, evitando constipação.
    O chá é rico em substâncias que auxiliam o trânsito digestivo, combatendo a prisão de ventre. Para isso, o ideal é consumi-lo ao menos 2 vezes por dia.
  2. É diurético.
    Considerado protetor renal e hepático natural, ele ajuda a eliminar toxinas responsáveis pela retenção de líquidos, que causam aquele famoso inchaço no período pré-menstrual.
  3. É antioxidante, por ser rico em flavonoides.
    Antioxidantes combatem os radicais livres de diferentes formas, impedindo seus ataques às células do organismo e reparando danos causados por radicais livres.
  4. Diminui o colesterol ruim (LDL).
    Por ser adstringente, o chá de hibisco ajuda a diminuir a formação do colesterol no sangue. Altas taxas de LDL representam uma das causas de doenças coronarianas e hipertensão.
  5. É antisséptico, tendo efeito antibacteriano e antifúngico.
    Ajuda a prevenir e tratar a cândida e a infecção urinária (cistite) de repetição.
  6. Por seu poder adstringente, o chá de hibisco é também considerado anti-hipertensivo e modulador dos níveis de insulina no sangue, evitando picos e acúmulo de gordura.
    Daí sua fama de emagrecedor.
    Combinar o chá de hibisco com canela potencializa seu efeito modulador dos níveis de insulina.
  7. Combinar o chá de hibisco com canela também traz os benefícios adicionais de ter ação termogênica e reduzir a compulsão por doces.
  8. Quando ingerido pela manhã, o chá de hibisco prepara o intestino para absorver os nutrientes que chegarão ao longo do dia.

Dentre esses benefícios, devemos destacar no contexto da Cirurgia Plástica:

  • Para o pós-cirúrgico, os efeitos:
    • Antisséptico, antibacteriano e antifúngico;
    • Laxante (já que a mobilidade reduzida e alguns medicamentos podem causar constipação em certos pacientes).
  • Para quem busca conter o envelhecimento, o potencial antioxidante.
  • Como suporte a um programa de reeducação alimentar, as ações:
    • Diurética;
    • Termogênica;
    • Moduladora da insulina e da compulsão por doces.

ATENÇÃO!
Portadores de doenças cardíacas devem limitar o consumo. Não é recomendado o uso durante a gestação ou lactação, pois foi identificada certa ação mutagênica em estudos preliminares com esta espécie.

Fontes:

A boa face do chocolate para sua beleza

InShot (26)

Sendo amanhã, 26 de março, Dia do Cacau e estando às vésperas da Páscoa, impossível deixar de falar de chocolate.

Famoso inimigo da dieta, o chocolate pode ser um importante aliado da estética. O ativo utilizado é o pó extraído da amêndoa do fruto cacau, rico em flavonoides, constituindo um potente antioxidante, combatendo os radicais livres e favorecendo a hidratação.

Os bioflavonoides contidos no chocolate, substâncias antioxidantes, têm ação anti-inflamatória e rejuvenescedora da pele. Ele é utilizado em limpeza de pele e banhos corporais.

Tratamentos com loção tônica, máscaras faciais e corporais, massagens e banhos de imersão hidratam, previnem o envelhecimento e recuperam o brilho da pele e dos cabelos. Tratamentos de chocolate são mais indicados para quem tem peles e cabelos desvitalizados e ressecados.

Além disso, por ter um aroma agradável, o chocolate estimula o hormônio do prazer. Assim, tratamentos à base de chocolate combatem o estresse, pois estimulam o sensorial.

Em especial em tratamentos para a pele, o chocolate nutre, deixa a pele macia e evita o envelhecimento por conta da composição de cálcio, magnésio, sais minerais, ferro, fósforo, proteínas, gorduras e vitaminas.

Procedimentos corporais, como esfoliação, massagem e aplicação de creme com textura de mousse de chocolate, potencializado com um lençol térmico, ajudam a reduzir medidas e têm efeito positivo no quadro de celulite.

O banho de chocolate tem ação purificante, ativa a circulação e libera endorfinas, dando sensação de bem-estar. Se realizado regularmente, reduz e previne celulites.

Também a massagem com óleos e cremes à base de chocolate relaxa e alivia tensões do dia-a-dia.

Tratamentos faciais com chocolate conciliados a microcorrentes ajudam na drenagem facial e tonificam a musculatura, melhorando a flacidez do rosto e atenuando marcas de expressão ou acne.

Esfoliação facial de chocolate tem como principal função remover as células mortas e prevenir o envelhecimento.

Há também clínicas que oferecem bronzeamento a jato com essência de chocolate, que não só deixa a pele morena por até 20 dias, como também trata e harmoniza.

Nos sites a seguir, há também informações sobre clínicas que oferecem tratamentos estéticos à base de chocolate.

Ressaltamos que nosso post é motivado pela ligação da data ao tema “chocolate” e o nível de curiosidade do assunto. Não oferecemos estes tratamentos em nossa clínica. Mas recomendamos conferir esta forma mais saudável de se “degustar” chocolate. 😉

 

Fontes: http://delas.ig.com.br/beleza/dicas/tratamentos-esteticos-com-chocolate/n1596844397926.html; http://www.vestiremaquiar.com.br/beneficios-do-chocolate-nos-tratamentos-esteticos/;http://mulher.uol.com.br/beleza/noticias/redacao/2012/04/05/aproveite-o-clima-da-pascoa-e-aposte-em-tratamentos-esteticos-com-chocolate.htm; http://estacaosaude.blogspot.com.br/2007/10/os-benefcios-do-chocolate-na-sade-e-na.html

Resistindo às tentações da Páscoa

InShot (25)

A Páscoa está chegando… As tentações já começam a bater à porta… Já bateu o desespero?

A Páscoa é o dia em que as famílias se confraternizam em torno de mesas repletas de delícias.

Algumas estratégias para lidar bem com a situação sem colocar os resultados já alcançados (quer por meio de educação alimentar, quer através de uma cirurgia plástica) a perder:

  1. É possível você curtir a confraternização focando principalmente em compartilhar momentos com pessoas queridas. Isso já tira um pouco o foco da comida e reduz parte da ansiedade.
  2. Mas ninguém é de ferro e você, nesta data festiva, não precisa se privar totalmente daquilo que gosta. Escolha bem aquilo que mais gosta e deguste demoradamente uma pequena quantidade.
    Lembre que 25g de chocolate tem em média 120 calorias. Ou seja, abusar da quantidade será de fato uma bomba calórica, repleta de açúcares simples e gordura saturada. Por isso o foco na seletividade e “degustação”. Deixe o chocolate derreter na boca – prolonga o prazer!
  3. Quem tiver a sorte de preferir o sabor do chocolate amargo ganha em benefícios, pois desfruta dos benefícios do cacau para a saúde, consumindo menos açúcar e gordura.
  4. Para as refeições principais, pense no que vai comer antes de comer:
  • Escolha alimentos de simples digestão e com baixo valor calórico, como carnes magras, peixes e aves (opte pela região do peito, sem pele).
  • Dentre os molhos, escolha os mais leves, como o de tomate e esqueça aqueles mais gordurosos, feitos com cremes.
  • Coma frutas na forma de saladas de frutas com gelatina, cozidas ou assadas (com canela e adoçante).
  • Os doces seguem a mesma regra da seletividade – Eleja sua sobremesa preferida e deguste demoradamente uma pequena quantidade.
  • Saladas com verduras e legumes, temperadas com azeite, limão, sal ou mostarda.
  • Evite maionese e molhos cremosos.
  1. Evite dormir com a barriga cheia. É sempre bom dormir leve e tranquilo.
  2. Seja forte em caso de comentários maldosos quanto à sua postura comedida. Autocontrole exige determinação e, seguindo o ditado “quem desdenha quer comprar”, sua força de vontade pode ser cobiçada por alguém menos determinado. Não dar ouvidos àquilo que não te acrescenta faz bem à saúde. 🙂
  3. Ingerir bastante líquido ao longo do dia também ajuda você a maneirar com a comida. Mas evite bebidas alcoólicas, refrigerantes e outras bebidas calóricas. Abuse da água, chás gelados (não adoçados ou levemente adoçados com adoçante) e sucos diluídos.
  4. Não se desligar dos exercícios diários também vai lhe dar uma boa força na queima das calorias do feriadão.

 

Curtam bastante os feriados!
Boa Páscoa a todos!

 

Fonte: Dra. Luciana Spina, endocrinologista, em http://www.buscasaude.com.br/endocrinologista/pascoa-sem-exageros/

Quando é preciso trocar os implantes mamários?

InShot (24)

As próteses de silicone hoje em dia já estão suficientemente evoluídas e resistentes de modo a não exigir mais a troca a cada 10 anos, como ocorria antigamente. Só mesmo em caso de intercorrências específicas é preciso trocar os implantes. Principais fatores que exigem a troca dos implantes são:

1 – Contratura ou retração capsular:
Toda vez que colocamos um “corpo estranho” é introduzido no organismo (desde uma farpa no dedo até uma prótese de mama), o corpo reage formando uma cápsula ao redor desse objeto para isolá-lo do resto do organismo. Essa cápsula começa a ser formada entre 2 e 3 meses após a cirurgia e tem sua importância. Por motivos ainda não totalmente elucidados, o corpo pode enviar um “sinal” para esta cápsula em qualquer momento da vida da paciente, fazendo com que ela fique mais dura e espessa – isso é a contratura capsular. Na prática a paciente pode notar a prótese mais nítida ao palpar, um pouco mais dura, diferença de posição entre as mamas visível ao observar no espelho e eventualmente até dor. Isso é um processo lento, que evolui ao longo de semanas a meses. Existe uma classificação que determina a intensidade dessa contratura, a Classificação de Baker, que vai de 1 (normal) a 4 (alteração visível, palpável e com dor).
Hoje em dia, o número de retrações de cápsula diminuiu bastante, devido ao advento de inovações técnicas introduzidas na cirurgia plástica.

2 – Ruptura da prótese:
A ruptura dos implantes mamários é algo difícil de acontecer, pois implantes modernos são bastante resistentes. Principais causas são acidentes com forte traumatismo e/ou pressão no tórax, lesões por instrumentos perfurantes, contratura capsular grave, desgaste ou, mais raramente, excesso de compressão em mamografia. Os implantes de silicone, como os usados no Brasil, são compostos por gel altamente coesivo, que permanece na sua totalidade dentro da cápsula e ao redor do implante, como mostra o vídeo abaixo. Sendo assim, não representa risco iminente para o tecido mamário. Em muitos casos, a ruptura do implante é imperceptível. Alguns sintomas podem ser: diminuição do tamanho da mama, deformidade no contorno da mama, nódulos, assimetria ou dor.

3 – Rippling:
Traduzida ao pé da letra do inglês, a palavra significa “ondulações”. Neste quadro, observamos ondulações (ou certas vezes pequenas “dobras”) na pele da mama, visíveis ou apenas palpáveis. Alguns fatores podem contribuir para essa reação pós-cirúrgica: pacientes muito magras, mamas originalmente muito pequenas ou plano cirúrgico retroglandular (próteses implantadas abaixo das glândulas mamárias). Nesses casos, no processo de formação da cápsula ao redor da prótese, a cápsula pode aderir à pele, dando origem a esse “enrugamento”.

4 – Ptose (queda da mama): que pode ocorrer com a idade ou por consequência de aumento seguido de perda acentuada de peso (“efeito sanfona”).

5 – Desejo da paciente por outro tamanho ou formato de prótese.

Nesses casos, as cicatrizes já existentes são usadas para a retirada das próteses antigas e colocação das novas. Em certas complicações, é necessário dividir a reintervenção em 2 etapas – uma de retirada e outra de reintrodução de implantes. O período entre esses 2 procedimentos é individual, dependendo do quadro do paciente.

Na reintervenção, outra conduta cirúrgica será estudada e aplicada. Isto inclui outro tipo de implante, dando preferência aos texturizados, e o plano cirúrgico de inserção das próteses, que pode ser:

  1. Retroglandular (atrás das glândulas mamárias);
  2. Retromuscular (atrás do músculo peitoral maior);
  3. Subfascial (A fáscia, membrana que envolve o músculo, é descolada e o implante é colocado entre ela e o feixe muscular);
  4. Dual Plane (“Plano duplo” significa que a parte superior da prótese fica sob o músculo e a inferior, sobre ele).

planos prótese

No caso específico do rippling, em certas situações uma pequena lipoenxertia (enxerto de gordura extraída outra parte do corpo da paciente) pode ser o suficiente par corrigir as ondulações.

Plásticas de mamas – Mitos & Verdades

InShot (23)

  1. A prótese de mama deve ser trocada a cada 10 anos.
    MITO!

    Os implantes de silicone evoluíram muito e são hoje muito mais resistentes. Só mesmo em caso de intercorrências, estas sendo pouco frequentes, há necessidade de troca.
  2. A prótese de mama prejudica exames de rotina.
    MITO!

    Exames anuais como mamografia e ultrassom de mamas seguem podendo ser realizados sem problemas. Inclusive, exames de imagem, como a ultrassonografia (mas também ressonância magnética) podem ser utilizados não só para acompanhamento das glândulas mamárias e controle de câncer de mama mas também para ajudar a avaliar regularmente a integridade e o contorno dos implantes.
  3. Prótese de mama prejudica a amamentação.
    MITO!

    Próteses de mama são habitualmente inseridas “fora do tecido mamário”. Glândulas mamárias e dutos são preservados na cirurgia de inserção de prótese de mama. Sendo assim, a amamentação pós-implante mamário não sofre restrições.
    Só mesmo no caso de mamaplastia redutora, se as mamas forem muito grandes e tiverem que ser reduzidas acentuadamente, a lactação poderá ficar prejudicada.
  4. O resultado da cirurgia de mama é prejudicado se eu engravidar posteriormente.
    MITO!

    O resultado poderá ser preservado, desde que você faça um controle do aumento de peso durante a gestação junto ao seu ginecologista. Geralmente não há problema.
  5. Fico depois da cirurgia um tempo com limitação para mexer os braços.
    VERDADE!

    É importante seguir as orientações médicas e, até obter a alta, manter os braços sempre junto ao corpo, de preferência contidos com uma atadura de crepom ou similar, movimentando só os antebraços. Não erguer os braços e não fazer esforço com os mesmos é muito importante para a boa cicatrização. Quanto mais extensa e/ou complexa for a cirurgia, quanto mais extensa a cicatriz, mais longo será o período de restrição de movimentação no pós-operatório. Não respeitar essas diretrizes pode levar a uma deiscência (os pontos da cirurgia se abrirem). Isso não só exige nova sutura como prejudica a aparência final da cicatriz, que pode ficar mais larga / espessa.

Água Termal

Amanhã, 22 de março, é o Dia Mundial da Água.
Que tal falarmos sobre os benefícios da água termal para a pele? Já ouviu falar de água termal?

Não é frescura – basta usar para ver a diferença. Enriquecido com minerais em altas concentrações, o produto marca presença na nécessaire de muitas famosas.

Efeitos da água termal:

  • Limpa, acalma e hidrata a pele.
  • Alimenta a pele e dá uma sensação de frescor.
  • Por ser rica em sais minerais e oligoelementos, como zinco, cálcio, magnésio, ferro, selênio, possui ação anti-inflamatória, cicatrizante e ajuda a combater os radicais livres gerados pela poluição, cigarro e raios solares.
  • Auxilia na recuperação da pele após procedimentos como laser, depilação, limpeza de pele e até uso excessivo de maquiagem ou exposição solar, por suas propriedades cicatrizantes.
  • Pode ser usada para refrescar a pele quando estiver na praia, onde temos a perda de água e sais minerais pela transpiração.
  • Em especial mantendo-a na geladeira, ela vai dar uma sensação calmante e refrescante, além de diminuir os poros.
  • Para quem passa muito tempo em ambientes com ar condicionado, também é uma ótima alternativa de hidratação, e não deixa aspecto oleoso.
  • Rica em antioxidantes, como hidratante cutâneo com efeito antienvelhecimento.
  • Com propriedades calmantes e anti-inflamatória, pode ajudar quando a pele está avermelhada, inflamada e com prurido.

Como usar?

Sem restrições, a água termal pode ser usada em qualquer tipo de pele e várias vezes ao dia.
Não há substitutos naturais que tenham as mesmas propriedades. Soro fisiológico e ótimo limpeza de pele, mas não substitui a água termal, pois não contém a mesma formulação. As águas termais podem variar na composição, mas são similares em resultados.

InShot (22)

Fontes: http://www.denisesteiner.com.br/faqs/aquaporinas.htm; http://ego.globo.com/beleza/noticia/2014/01/veja-os-beneficios-para-pele-da-agua-termal-queridinha-das-famosas.html